/ Casa Vilamoura

/ Ano: 2016

/ Área: 56,30 m2

/ Colaboração e Fotografia: Atelier POLIGONO e Marco Vieira

A premissa assentava na transformação de uma casa de férias com grande potencial – mas com áreas pequenas e sem luz natural -, num espaço que tirasse partido da luz, da área exterior e que, em simultâneo, redefinisse os espaços, tornando-os mais amplos e, sobretudo, que conferisse conforto à zona de dormir, adjacente à sala, a fim de se manter os dois “quartos” existentes.

Esta amplitude que se procurava foi criada, não pela demolição de muitas paredes – somente na entrada da cozinha e demolição de parte da i.s. -, mas pelos materiais, iluminação e mobiliário fixo.

Deste modo, a estante - construída pelo atelier polígono -, colocada no sentido longitudinal da sala, caracteriza-se por ser uma peça versátil que separa a zona de estar da zona de dormir, sendo mesa de cabeceira num lado e arrumação/apoio de tv do outro; porta de correr de acesso ao “quarto”, marcação da entrada no apartamento.

A cozinha, outrora um espaço fechado sem relação com o resto do apartamento, tornou-se num espaço fluído e mais amplo, com alteração do sistema de arrumação para uma solução mais “leve”, sem diminuir a área útil.

Por outro lado, a iluminação que se colocou na zona de jantar, quartos e cozinha, marca estes espaços e, uma vez que foi concebida no mesmo material que a estante, acabam, em conjunto, por criar um fio condutor em toda a casa.

Na zona exterior colocou-se pavimento em terra cota e desenhou-se um banco em alvenaria que serve, não só como zona de estar mas também como apoio à mesa de refeições, tornando-a numa área agradável e numa mais-valia para uma casa de férias.